Sinto falta - mas é melhor assim.

       Ela deve estar olhando suas fotos nesse exato momento. Por que não? Passou-se muito tempo, detalhes se perderam. E dai? Pode ser que ela faça as mesmas coisa que você faz as escondidas, sem deixar rastros nem pistas. Quem nos faz falta, acerto o coração como um vento súbito que entra pela janela aberta. Não há escape. Talvez, ela perceba que você faz falta e diferença, de alguma forma, em conversas aleatórias em uma viagem pelo notebook, ou a boa comparação de havia entre você e uma pessoa muito especial, que já se foi, e que a mesma ficava brava que nessa viagem, passou a noite só, pois seus dois companheiros passou a noite á dentro conversando na cozinha, com assuntos longos, divertidos e encantadores.

      Você não sabe. Demorei para falar pois honestamento esquecia. Deixei de me importar e passei a fazer o que você pediu, lembra? "Me esquece, se toca". Mais ai, no meu dia turbulento e cheio de histórias, a libélula passa e parece que com ela veio tudo. TUDO.
     Toda forma de burrice, toda forma infantil e toda simplicidade que nos cercava. Enfim, muitos valores foram confundidos. Este não é um desabafo para você pensar que me importo, que sinto falta ou penso em ir até ai e te chamar. É só pra você saber que eu me lembrei de você e que depois de muito tempo consegui sorrir por isso. E o que não sabemos, é que sou eu que vou fazer seu crochê ter sentido enquanto umas crianças grandes, com cabelo de leãozinho e desengonçadas brincam com as libeluas, e ter todas as viagens ter as melhores fotos. Você me faz rir e me faz quase que pensar que nada disso aconteceu, e ir ai te chamar e falar o quanto era infantil, e você não tem nem ideia do quanto mudei.

Ou não. 

Um comentário:

   B. ѕιℓνëѕтяë . ϟ disse...

Podemos ter mudado e acontecido tudo o que houve, cada um com a sua perspectiva do que nos tornamos naquela época e hoje,mas por volta e meia pode-se dizer que libélulas passam e me faz recordar e isso é viver.
São momentos tão toscos, tão nossos e bons que mesmo com toda a briga vão ficar, acredito que ainda vamos crochear kkkk não sei se existe, mas um dia talvez isso aconteça, não com a certeza de anos atrás. Mas de qualquer forma meus filhos saberá da libélula, ou vão descobrir quando questionar aquele desenho estranho que está no meu corpo entre as rugas.
Tenho pra mim que tudo que se torna dependente e grande demais pra se controlar, ultrapassar não só o controle mais todo o orgulho, que ainda tem conserto um dia ainda mais quando se trata da minha parte e você ainda me conhece bem.
Talvez eu nem te conheça mais,não sei quem se tornou nesses longos anos e talvez eu nunca mais a conheça. Mas desejo tudo de melhor rs e como não sou boa com palavras como você, e o contrário eu sinto falta hoje sim, porém hoje não és mais minha necessidade. Talvez por isso um dia de certo e se um dia você quiser quando tivermos preparada. Beijos pra última melhor amiga.
Sobre o testo, é sempre ver que meu velho é lembrado!!!