detalhes.

Queria que voltasse o tempo só para perceber os detalhes. 

Qual era o ritmo do beijo, qual do coração, onde suas mãos repousavam nesse tempo.
Sei que o tempo não parou. 
Ele voou depressa demais, que me fez esquecer o que não podia, 
e lembrar do que eu já não me permitia lembrar. 
Eu devia beija-lo de olhos abertos para que não perca nenhum detalhe. A gente sorria juntos no final do beijo. Vergonha? Até podia ser, mas essa era a minha forma de dizer obrigado por repartir esse momento comigo, que passou a ser nosso, desde então. 

Nenhum comentário: